Por que não mudamos? Tudo que não aconteceu de maio de 2013 até hoje.

Em maio de 2013, a gente não pensava em mudança. Vivíamos a expectativa da Copa do Mundo no Brasil no ano seguinte e não imaginávamos que veríamos as ruas das grandes cidades lotadas por uma multidão descontente um mês depois. Muita gente jovem nem sabia o que era multidão descontente tomando a rua.

manifestac3a7c3b5es_oriba-16
Foto: Fernando Gonsales

 

Em maio de 2013 vislumbrava-se a seleção brasileira vencendo a final da Copa no Maracanã e se comentava aqui e ali que em 2014 também teria eleição. Em maio de 2013, o preço do bilhete do transporte público era quase irrelevante. Em junho de 2013 o legado da Copa – ou não ter Copa – era mais importante que a Copa, destronar uma presidente era mais importante que a eleição, e a passagem de ônibus era uma questão de honra. Em meio a revoltados e esperançosos, e revoltados esperançosos, a cabeça sociedade brasileira mudou de um mês pro outro.

Em janeiro de 2015, já passou a Copa, a eleição, a revolta e a esperança. Resta-nos a mesma letargia social de maio de 2013 e a lembrança de uma ânsia passageira por transformação social, em junho de 2013. Em janeiro de 2015, não temos mais expectativa por uma Copa no país, e a próxima eleição presidencial é só daqui a quatro anos. Ir para rua de novo? Parece-me que já escolhemos o Facebook para protestar, do mesmo jeito que fazíamos em maio de 2013. De fato, é mais confortável e tem tido mesmo efeito imediato: nenhum. 2014 tinha que ser o ano da transformação do país. Em junho de 2013 a gente acreditava nisso. Mas, teve Copa e ela não mudou o Brasil, e a eleição, a julgar pelos nomes dos eleitos, também não oferece condição para que acreditemos em mudança (independente de achar que está bom ou ruim como está). Ainda que tivéssemos elegido outro presidente, não da pra garantir que seria uma mudança. A gente já provou as duas receitas, com os mesmos cozinheiros. Que frustração!

Uma sociedade não muda. Quem muda são as pessoas. O Brasil não vai mudar enquanto nós continuarmos os mesmos.

Mas por que não mudou porra nenhuma? Uma sociedade não muda. Quem muda são as pessoas. O Brasil não vai mudar enquanto nós continuarmos os mesmos. E nós seremos os mesmos enquanto despejarmos todas as nossas responsabilidades num governo, no país, ou na sociedade. Precisamos nos preparar para mudar. A gente precisa falar mais de política e menos de voto, a gente precisa economizar água não só quando falta, a gente precisa se informar não só pelo Facebook, a gente precisa saber mais, pensar mais, fazer mais e esperar menos. O movimento começa a partir de nós mesmos. Mas não será de um mês para o outro, nem numa eleição, nem com uma passeata ou com um post que a transformação ocorrerá.

Mas, quem sabe, as discussões no Facebook, a primeira manifestação na rua, a economia forçada de água, sejam o começo de uma mudança que nós não percebemos qual é e nem para onde vai nos levar.

Texto: Antonio Romero